Peritos usam scanner 3D para analisar queda do viaduto no Eixo Sul

O laudo sobre o desabamento da obra sai em apenas um mês. No entanto, já especialistas apontam falha e ausência de manutenção da estrutura de mais de meio século.

 

Jéssica Antunes
jessica.antunes@grupojbr.com

Um scanner 3D é usado para periciar o viaduto do Eixo Rodoviário Sul sobre a Galeria dos Estados que desabou no fim da manhã de terça-feira. O prazo para o laudo definitivo que vai indicar os reais motivos que levaram a estrutura ao chão é de 30 dias. Desde o início da manhã desta quarta-feira (7), peritos analisam o local. Apesar de a resposta sair em um mês, especialistas apontam falha e ausência de manutenção da estrutura de mais de meio século. O projetista foi chamado para contribuir com os estudos.

O engenheiro calculista que projetou o viaduto foi chamado pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) para avaliar a estrutura. Bruno Contarini, de 84 anos, deve chegar a Brasília no fim da manhã desta quarta. Ele foi um dos responsáveis por projetos como o Minhocão da Universidade de Brasília (UnB) e o Teatro Nacional.

A retirada dos escombros ainda não iniciou e o viaduto ficará interditado pelo menos até o dia 19 de fevereiro. Até lá, uma obra de desvio será feita para garantir a manutenção do trânsito com impacto reduzido.

A equipe de criminalística da PCDF usa a ferramenta para fazer um desenho tridimensional da ponte. As imagens serão usadas pela perícia e equipe técnica que avaliará o que será feito com a estrutura nos próximos dias. O diretor do Instituto de Criminalística deve prestar esclarecimentos à imprensa sobre o andamento do processo ainda nesta manhã.

 

Fonte: http://www.jornaldebrasilia.com.br/cidades/peritos-usam-scanner-3d-para-analisar-queda-viaduto-no-eixo-sul/