ABPC pede que polícia civil tome medidas para proteger servidores

Com o objetivo de prevenir o contágio pelo coronavírus de Peritos Criminais e demais profissionais que atuam no Instituto de Criminalística (IC), no Instituto de Pesquisa de DNA Forense (IPDNA) e na Central de Guarda e Custódia de Vestígios (CGCV), a Associação Brasiliense de Peritos em Criminalística (ABPC) solicitou à Direção da Polícia Civil do Distrito Federal que sejam tomadas providências para evitar o contágio e proliferação da doença entre os servidores e seus familiares. A entidade sugeriu ainda a realização de testes para detecção do vírus nos servidores com sintomas compatíveis com gripe e que estiveram no exterior ou tiveram contatos com quem esteve recentemente no exterior.

Também foi sugerido que sejam adiadas ou canceladas reuniões presenciais que não sejam estritamente necessárias. Neste caso, que sejam preferencialmente realizadas por videoconferência.

A entidade pede ainda que as unidades funcionem com o mínimo de servidores necessários para atendimento de prioridades, em sistema de rodízio, com a possibilidade de dividir os servidores em dois ou até três turnos.

 

Clique e confira a Nota na íntegra